domingo, 13 de maio de 2007

CHUANG TZU (2)

A TORRE DO ESPÍRITO
(Chuang Tzu)



O espírito possui uma torre inexpugnável
Que nenhum perigo ameaça
Desde que a torre esteja guardada
Pelo Protetor invisível
Que age sem saber e cujas ações
Perdem-se quando são deliberadas,
Reflexivas e intensionais.

O inconsciente
E toda a sinceridade do Tao
São perturbados por qualquer esforço
De demonstração autoconsciente,
Todas essas demonstrações
São mentirosas.

Quando nos exibimos
Dessa maneira ambígua
O mundo exterior explode
E nos aprisiona.

Não somos mais protegidos
Pela sinceridade do Tao.

Cada novo ato
É um novo erro.

Se os atos são públicos,
Feitos à luz do dia,
Seremos punidos pela humanidade.
Se são privados
E secretos,
Seremos punidos
Pelos espíritos.

Deixe cada um compreender
O sentido da sinceridade
E proteger-se contra o exibicionismo!

Ficará em paz
Com a humanidade e os espíritos
E agirá corretamente, despercebido,
Em sua própria solidão,
Na torre do seu espírito.



CHUANG TZU, considerado o maior escritor taoista de cuja existência se tem notícia, escreveu sua obra no final do período clássico da filosofia chinesa, de 550 a 250 aC.

MERTON, Thomas. A Via de Chuang Tzu. Petrópolis: Editora Vozes, 1974.

Um comentário:

belinha disse...

Se os atos são públicos,
Feitos à luz do dia,
Seremos punidos pela humanidade.
Se são privados
E secretos,
Seremos punidos
Pelos espíritos.


Para meditar.