terça-feira, 29 de maio de 2007

LA ROCHEFOUCAULD (4)

LA ROCHEFOUCAULD


Máxima 59
“Não existem acidentes, por mais infelizes, dos quais os astutos não extraiam alguma vantagem, nem acidentes, por mais venturosos, que os imprudentes não consigam fazê-los voltar-se contra si mesmos.”

Máxima 64
“A verdade não faz tanto bem ao mundo como suas aparências nele fazem mal.”

Máxima 72
“Se julgarmos o amor pela maioria de seus efeitos, ele se parece mais com ódio do que com amizade.”

Máxima 76
“O verdadeiro amor é como a aparição dos fantasmas: todo o mundo os comenta, mas poucos os viram.”

Máxima 79
“O silêncio é a atitude mais segura para aquele que desconfia de si próprio.”



François de La Rochefoucauld foi um nobre que escreveu apenas dois livros. Um de memórias e outro de máximas. Filho do duque de Poitou, suas máximas foram publicadas pela primeira vez em 1664, anônimas. Retrabalhadas, reapareceriam em 1678. La Rochefoucauld faleceu em 1688.

LA ROCHEFOUCAUD, François VI de. Reflexões e Máximas Morais. Tradução de Alcântara Silveira. Rio de Janeiro: Edições de Ouro, 1969.

Um comentário:

Sandrine disse...

Grandes verdades aqui presentes =)