terça-feira, 25 de agosto de 2009

HERBERT READ



Herbert Read
Em
A Caminho da Abstração.






“Talvez seja verdade que a finalidade da arte não pode ser atingida por artistas individualmente”.



“Contemplando pinturas abstratas, o homem comum provavelmente concluirá que esses artistas poderiam ter feito coisa pior”.



“Deveríamos antes considerar a arte como um instrumento em nossas mãos, e nosso ofício, como artistas e filósofos da arte, é conservar esse instrumento em boa forma”.



“Existe talvez uma profunda diferença entre a arte geométrica do passado (como a arte celta) e a arte geométrica contemporânea; a primeira era feita sem que o artista se desse conta, em resposta a um impulso espiritual partilhado pela comunidade, enquanto a segunda é consciente, inspirada pelo intelecto e somente por ele apreciada”.



“Paisagens e retratos têm, por assim dizer, suas próprias personalidades e para o pintor que apenas reproduz é fácil mascarar sua própria falta de personalidade na personalidade das coisas”.













READ, Herbert. “A Caminho da Abstração”. Tradução de Dora Rocha. In. VELHO, G. (Org.) Sociologia da Arte III. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

Sobre Herbert Read clique no linque abaixo:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Herbert_Read

2 comentários:

Luis Bento disse...

Muito bom...tantos anos depois dos bancos da escola, cruzar-me com herber read no seu blog...
Gosto da sobriedade e bom gosto do seu espaço. Obviamente a visitar com assiduidade.

Coga disse...

Ótimo! Gostei muito do seu trabalho. Continue!