segunda-feira, 18 de junho de 2007

LA ROCHEFOUCAULD (3)

LA ROCHEFOUCAULD


Máxima 5
”A duração das nossas paixões não depende mais de nós que a duração de nossa vida.”

Máxima 6
“A paixão torna freqüentemente louco o homem mais astuto e quase sempre astutos os mais tolos.”

Máxima 9
“As paixões têm uma injustiça e um interesse próprio que tornam perigoso segui-las, de tal modo que devemos desconfiar delas mesmo quando pareçam sensatíssimas.”

Máxima 29
“O mal que fazemos não nos acarreta tanta perseguição e ódio quanto nossas boas qualidades.”

Máxima 31
“Se não tivéssemos defeitos, não teríamos tanto prazer em observá-los nos outros.”



François de La Rochefoucauld foi um nobre que escreveu apenas dois livros. Um de memórias e outro de máximas. Filho do duque de Poitou, suas máximas foram publicadas pela primeira vez em 1664, anônimas. Retrabalhadas, reapareceriam em 1678. La Rochefoucauld faleceu em 1688.

LA ROCHEFOUCAUD, François VI de. Reflexões e Máximas Morais. Tradução de Alcântara Silveira. Rio de Janeiro: Edições de Ouro, 1969.

3 comentários:

serenidade disse...

James,
muito obrigada pela tua visita na minha humilde casinha, e muito obrigada pela partilha, máximas estas que nos permitem reflectir sobre o nosso dia a dia, obrigada.

Serenos sorrisos

Carol Rocha disse...

“O mal que fazemos não nos acarreta tanta perseguição e ódio quanto nossas boas qualidades.”

A inveja é mesmo um fardo pesado. Mas muito pior para quem sente.

beijo,

Linda Graal disse...

muito bom mesmo!!! adorei!!

sobre o you tube...idéia interessante!! ;)
obrigada...

amplexos!