domingo, 8 de julho de 2007

LA BRUYÈRE (5)

La Bruyère – Máximas “Do Coração”


1 “Há na amizade pura um prazer a que não conseguem atingir os que nasceram medíocres.”

9 “O amor começa pelo amor; e somente passaríamos da mais forte amizade para um fraco amor.”

12 “O amor que nasce inesperadamente é o mais difícil de curar.”

19 “É uma doce vingança a quem muito ama, transformar, pelo seu proceder, um ingrato num ingratíssimo.”

39 “Queremos dar toda a felicidade ou, se não for possível, toda a infelicidade a quem amamos.”


Jean La Bruyère nasceu em 1645 em Paris e morreu em 1696. Faz parte, junto com La Rochefoucauld e outros, do grupo chamado de "moralistas”.

LA BRUYÈRE Os Caracteres. Trad. Alcântara Silveira. São Paulo: Ed. Cultrix, 1965.

2 comentários:

aNNaFLaVia disse...

Sobre essa última, eu sempre pensei de quem age assim é por que em momento algum amou. Quando se ama alguém, mesmo que esse alguém não valha nada, queremos que ele fique bem e até mande notícias de possível. Por que amor, não acaba. É sempre amor, mesmo que mude.

Beijos
E excelente semana pra você!

eu... disse...

gostei muito destas máximas do amor... e me identifiquei em algumas