sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

WILHELM DILTHEY



Wilhelm Dilthey
Em
Os Tipos de Concepção de Mundo.






“Das experiências mutáveis da vida emerge, para apreensão dirigida ao todo, o rosto da vida, cheio de contradições, ao mesmo tempo vitalidade e lei, razão e arbitrariedade, mostrando sempre aspectos novos e, embora talvez clara nos pormenores, inteiramente enigmática na totalidade”.




“Desde o primeiro olhar lançado a um morto é a morte inapreensível para a vida, e aqui radica, em primeiro lugar, a nossa posição frente ao mundo como perante algo de estranho e de terrível”.




“Toda a impressão forte revela ao homem a vida a partir de um lado peculiar; o mundo surge então a uma nova luz; com a repetição e a ligação de tais experiências, surgem as nossas disposições anímicas em face da vida”.




“A vida apresenta à poesia sempre novos aspectos.

A poesia mostra as possibilidades ilimitadas de ver, de valorizar e de criativamente configurar a vida.

O acontecimento transforma-se, pois, em símbolo, não de um pensamento, mas de uma conexão vislumbrada na vida – vislumbrada a partir da experiência vital do poeta”.




“Todos os fenômenos do universo são duais; vistos de uma vertente, na percepção externa, são dados como objetos sensíveis e, como tais, encontram-se num nexo físico enquanto, vistos por assim dizer a partir de dentro, trazem em si uma conexão vital, a qual se pode vivenciar no nosso próprio interior”.









DILTHEY, Wilhelm. Os Tipos de Concepção de Mundo. Tradutor: Artur Morão. Disponível em: http://www.lusosofia.net/textos/dilthey_tipos_de_concep_ao_do_mundo.pdf

Sobre Dilthey clique no linque abaixo:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Wilhelm_Dilthey

Um comentário:

Conceição Duarte disse...

Pois é James querido,temos que cortar o mau pela raíz, adorei seu poema... Um beijo grande e bom final de semana, CON