quinta-feira, 16 de julho de 2009

AUGUSTO DOS ANJOS (3)



ETERNA MÁGOA
(Augusto dos Anjos)





O homem por sobre quem caiu a praga
Da tristeza do Mundo, o homem que é triste
Para todos os séculos existe
E nunca mais o seu pesar se apaga!

Não crê em nada, pois, nada há que traga
Consolo à Mágoa, a que só ele assiste.
Quer resistir, e quanto mais resiste
Mais se lhe aumenta e se lhe afunda a chaga.

Sabe que sofre, mas o que não sabe
É que essa mágoa infinda assim, não cabe
Na sua vida, é que essa mágoa infinda

Transpõe a vida do seu corpo inerme;
E quando esse homem se transforma em verme
É essa mágoa que o acompanha ainda!






Disponível em:
http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/bv000306.pdf

Sobre Augusto dos Anjos clique no linque abaixo:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Augusto_dos_Anjos

Um comentário:

Poeta Jorge Henrique disse...

É sempre um mórbido e um sublime prazer reler Augusto dos Anjos. É bom encontrá-lo, vivo, nas páginas da internet.

Parabéns pelo seu espaço e pelas escolhas que fez.