terça-feira, 22 de junho de 2010

CÍCERO (5)



Cícero
Em
Saber envelhecer.





“Para ser aplaudido o ator não tem necessidade de desempenhar a peça inteira.

Basta que seja bom nas cenas em que aparece.

Do mesmo modo, o sábio não é obrigado a ir até o aplauso final.

Uma existência, mesmo curta, é sempre suficientemente longa para que se possa viver na sabedoria e na honra”.




“A velhice só é honrada na medida em que resiste, afirma seu direito, não deixa ninguém roubar-lhe seu poder e conserva sua ascendência sobre seus familiares até o último suspiro.

Gosto de descobrir o verdor num velho e sinais de velhice num adolescente.

Aquele que compreender isso envelhecerá talvez em seu corpo, jamais em seu espírito”.




“Se o bom senso e a sabedoria não são suficientes para nos manter afastados da devassidão, cumpre agradecer também à velhice por nos livrar dessa deplorável paixão”.









Cícero, Marco Túlio. Saber envelhecer e A amizade. Tradução de Paulo Neves. Porto Alegre: L&PM, 2002

Sobre Cícero clique
http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%ADcero

Um comentário:

Eduardo P.L disse...

É preciso saber envelhecer! E não é fácil! É tão difícil, quanto se manter criança, quando se é!